Celulite Orbitária

Celulite Orbitária

2018-04-07T21:08:14+00:00

Untitled3

 

Definição

 

Terror entre  mulheres, a celulite é caracterizada principalmente pelo aparecimento de ondulações da pele, causada por alterações no tecido gorduroso, em conjunto com alterações na microcirculação e consequente aumento do tecido fibroso. A celulite aparece principalmente na região dos glúteos, coxa, abdómen, nuca, e braços.

 

Mas o que muita gente desconhece é que existe um outro tipo de celulite, e muito perigosa!

 

A Celulite Orbitária ou Celulite ocular tem cura. É uma inflamação dos tecidos profundos da órbita e essa deve ser diferenciada de outras inflamações palpebrais. Apresenta-se com grande edema palpebral com restrição e dor à movimentação dos olhos, deslocamento anterior dos olhos (proptose) e febre.

 

A celulite orbitária é uma infecção que pode evoluir para sérias complicações, como meningite, septicemia, perda auditiva ou perda de visão.

 

Causas

 

O quadro de Celulite Orbitária tem diferentes causas. Um trauma ocular, uma sinusite ou mesmo uma espinha mexida sem higiene adequada pode levar a bactéria para esse tecido e causar a celulite.

Até uma gripe mais agressiva é considerada entre as causas ou mesmo uma rinite. E também pode ser consequência de outras infecções, trauma ocular, corpos estranhos ou de picada de inseto.

 

O diagnóstico segue, em termos gerais, a observação do inchaço da pálpebra, chegando até a impossibilitar o paciente de permanecer com o olho aberto.

 

Segundo o Dr.Gustavo Bonfadini, outros sintomas que acompanham a celulite orbitária são: febre acima de 39º C, protuberância do globo ocular, com aparência lustrosa e avermelhada, visão reduzida, e mal-estar generalizado.

 

Tratamento

 

A evolução de um diagnóstico de celulite orbitária é tão grave que diante da sua presença confirmada, o médico inicia o uso de antibióticos e em casos mais severos se determina a internação imediata com tratamento a base de antibióticos e antivirais quando a origem for viral. Os casos que evoluem para o comprometimento neurológico e perda de visão são raros, mas acontecem se o paciente não for tratado.

 

Por isso, quando os sinais de presença da celulite orbitária se manifestam é preciso procurar atendimento médico, pois o ritmo da sua evolução vai depender do comportamento da bactéria ou do vírus que a causou.

 

Lembre-se: Este artigo visa informar o público e não substitui avaliação por médico oftalmologista, que é o único profissional capacitado para realizar o diagnóstico preciso e indicar o tratamento mais adequado para cada caso. Portanto, não pratique a auto-medicação e procure sempre o seu médico.

 

Terçol: (Clique aqui para saber mais sobre Terçol).

Calázio:(Clique aqui para saber mais sobre Calázio)

 

Sobre o Autor:

Doutor em Ciências Visuais e Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), completou especialização de 3 anos em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Residência Médica em Oftalmologia pela Secretaria Municipal de Saúde – RJ. É especialista em Transplante de Córnea e Cirurgia de Catarata pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Fez Post-doctoral Research Fellowship em Catarata, Cirurgia Refrativa e Córnea pela Johns Hopkins University – EUA. Chefe do Setor de Córnea e Cirurgia Refrativa do Instituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro – IORJ, atua nas áreas clínica e cirúrgica da transplante de córnea, oftalmologia geral, síndrome do olho seco, distrofia de Fuchs, ceratocone, conjuntivite, cirurgia a laser, cristalino, lentes intra-oculares e catarata.