Cirurgias Refrativas

Cirurgias Refrativas

2020-10-09T13:32:34+00:00

Correção a LASER da Miopia, Astigmatismo e Hipermetropia:

As cirurgias refrativas consistem em procedimentos médicos oftalmológicos que visam diminuir ou eliminar a necessidade do uso de óculos ou lentes de contato nos pacientes que apresentam Erros Refracionais.

A cirurgia é realizada com um tipo específico de Laser, denominado Excimer. Precisos feixes de laser são aplicados sobre a córnea (camada transparente, mais superficial do olho) com o objetivo de remodelar a óptica ocular, proporcionando uma visão mais nítida.

Erros Refracionais, por sua vez, são imperfeições oculares que dificultam a formação das imagens na retina, fazendo com que a visão não seja nítida (visão borrada, por exemplo). Existem diferentes tipos de erros refracionais, dentre os quais, os mais importantes são:

1) Miopia = visão ruim para longe. Nesse caso, o laser irá aplanar a córnea.

2) Hipermetropia = visão ruim para perto e muitas vezes também ruim para longe. Nesse caso, o laser irá encurvar o centro da córnea.

3) Astigmatismo = imagem distorcida tanto para longe quanto para perto. O laser irá corrigir as irregularidades da córnea.

4) Presbiopia= popularmente conhecida como “vista cansada”. A visão torna-se ruim para leitura de perto. A presbiopia inicia-se após os 40 anos de idade, pois está diretamente relacionada à idade.

5) Aberrações de alta ordem
= São alterações do sistema óptico humano, capazes de interferir na qualidade e também na quantidade de visão. As aberrações são classificadas como de baixa ordem, que correspondem às miopias, hipermetropias e astigmatismos, e as de alta ordem, sendo que os lasers personalizados foram desenvolvidos para permitir o tratamento de ambos os tipos de aberrações.

Acredita-se que a precisão dos tratamentos personalizados possa ser até 25 vezes maior, com relação à aqueles que focam apenas o grau (ou tratamentos convencionais), sem tratar as aberrações.

Correção dos Erros Refracionais :

De um modo geral, os erros refracionais podem ser compensados através de três formas distintas, quais sejam:

1) Uso de óculos

2) Uso de lentes de contato

3) Com cirurgias refrativas

O uso de óculos ou de lentes de contato
 são alternativas para compensar os erros refracionais, a fim de melhorar a visão dos pacientes. Contudo, nem os óculos, nem as lentes de contato são capazes de corrigir os erros refracionais.

Felizmente, com o progresso da ciência, diversas técnicas de cirurgias refrativas foram desenvolvidas para corrigir os erros refracionais, possibilitando o restabelecimento de uma boa qualidade de visão sem a necessidade de uso de óculos (ou com menor necessidade de óculos).

Assim, como existem diversos tipos de Erros Refracionais, existem também diferentes técnicas de cirurgias refrativas, cada qual com suas peculiaridades.

De acordo com o especialista, Dr.Gustavo Bonfadini, de um modo geral, podemos dividir as cirurgias refrativas em 4 grupos, como abaixo listado:

CIRURGIAS

 

1) Cirurgias Refrativas com LASER (LASIK e PRK)


A) LASIK – (Laser in situ Ceratomileusis)

Captura de Tela 2014-06-26 às 22.30.13

INSERIR VIDEO ECHO: 5) Who is a Good Candidate for Refractive Surgery (Who is a Good Candidate for Refractive Surgery/Duração do Video 00:41)

A aplicação do Laser ocorre após o levantamento de uma camada superficial da córnea. Utiliza-se um instrumento preciso (Microcerátomo ou Laser de Femtosegundo) para confeccionar uma fina camada de tecido corneano, a lamela. O cirurgião utiliza um excimer laser para remover uma quantidade pré-determinada de tecido corneano remodelando sua curvatura e assim remover o grau.
O tempo de aplicação de laser propriamente dito é de segundos por olho, corrigindo até altos graus de Miopia
, de Hipermetropia e de Astigmatismo. A cirurgia é realizada, geralmente, nos dois olhos no mesmo tempo cirúrgico. A cirurgia é feita com anestesia tópica ou seja com colírios. Não é possível dormir durante a cirurgia pois é necessária a colaboração do paciente.
O paciente vai para casa imediatamente após o procedimento.

B) PRK  (Link para PRK)

Captura de Tela 2014-06-26 às 22.30.25

É uma técnica onde o excimer laser é aplicado sobre a córnea após a retirada do epitélio (camada superficial de células). Sua grande vantagem é a simplicidade, no entanto os primeiros 3 dias de pós operatório são um pouco mais desconfortáveis quando comparável ao LASIK. A recuperação é um pouco mais lenta, e a cicatrização às vezes atrapalha o resultado pós operatório. Pode ser usada em pequenos graus de miopia e astigmatismo. É uma abreviação de Photorefractive Keratectomy (PRK). O tempo de cicatrização é de aproximadamente 3 a 4 dias. A cirurgia é feita com anestesia tópica ou seja com colírios.

 

C) LASIK e PRK  : COM CIRURGIA REFRATIVA PERSONALIZADA

O Laser Personalizado é uma nova tecnologia desenvolvida para as cirurgias refrativas. Criada a partir do sistema de comprimento de ondas ou “Wave-Front” através do exame de aberrometria, permite um tratamento mais preciso e personalizado para cada olho. Diferente da cirurgia refrativa convencional, que lapida a córnea, a customizada varre pequenas imperfeições de sua superfície, chamadas de aberrações ópticas.

Para criar o programa que irá orientar a cirurgia refrativa customizada, é necessário fazer um exame chamado Aberrometria, que calcula as imperfeições e as irregularidades da córnea, tornando a cirurgia refrativa personalizada.

A aberrometria proporciona maior precisão no estudo da refração. Enquanto a refração clínica tradicional está em 0,25 D (dioptrias), a aberrometria mede com a precisão de 0,01 D. Em diversas situações clínicas como alto astigmatismo, ectasias (Ceratocone e degeneração marginal pelúcida), após transplante de córnea ou outras em que há maior dificuldade no exame da refração, a aberrometria com a refração computadorizada a laser aumenta significativamente as chances de melhores resultados com as correções obtidas.

Essas pequenas imperfeições podem explicar por que algumas pessoas continuam sem distinguir bem objetos à noite e vêem algumas manchas assimétricas mesmo depois da cirurgia refrativa e acham que necessitam de óculos novamente. Portanto, essa tecnologia de última geração supera a convencional em diminuir as queixas noturnas e em ambientes de baixa luminosidade.

Na avaliação pré-operatória, um exame oftalmológico completo é feito, determinando as condições oculares para avaliar a indicação cirúrgica e a técnica a ser realizada, sempre visando o melhor resultado.

2) Facoemulsificação na Cirurgia de Catarata


Técnica moderna, que consiste em uma pequena incisão na córnea através da qual entra um aparelho que se utiliza de ondas de ultrassom para fracionar o Cristalino e aspirar todos os seus fragmentos. Durante a cirurgia é mantida a cápsula posterior (saco capsular) do Cristalino, para que sobre ela seja colocada uma lente intraocular (LIO).

Nesta técnica emprega-se lentes intraoculares flexíveis ou expansíveis. Utilizamos incisão tunelizada que é auto-selante devido à pequena incisão e as modernas lentes dobráveis. A recuperação visual é mais rápida que nas técnicas mais antigas.

A lente intraocular que será implantada é permanente, o que torna sua escolha bastante importante: A última geração de lentes intraoculares corrigem o foco para todas as distâncias, melhoram a visão de profundidade e a capacidade de adaptação em ambientes mal iluminados.

Segundo o oftalmologista do Instituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro – IORJ, Gustavo Bonfadini, toda pessoa que tem catarata é também portador de Presbiopia ou vista cansada. O distúrbio é o primeiro sinal de envelhecimento do cristalino, que progressivamente perde a flexibilidade como acontece com todo nosso corpo – e o resultado é dificuldade de enxergar de perto. A presbiopia acontece mesmo com quem nunca usou óculos e transforma num verdadeiro tormento a leitura de perto, uso do computador, celular, GPS entre outras atividades próximas.

Hoje o Brasil tem 15,7 milhões de pessoas com mais de 60 anos e 74% desta população é economicamente ativa, o que significa que enxergar bem se tornou essencial nesta faixa etária que tem um decréscimo significativo da visão.

A boa notícia é que a mais nova lente intraocular utilizada na cirurgia de catarata garante a completa recuperação da visão do paciente. As novas lentes corrigem até altos graus de miopia e astigmatismo.

3) Implante de Lentes Fácicas
 

As lentes são implantadas em uma cirurgia, presas à íris (ex: lente de Artisan), na frente da íris (ex: lente Vivarte), ou atrás da íris (ex: lente ICL).

A Lente Artisan – feita de PMMA, material inerte empregado para implantes em cirurgias oculares – é a lente ocular fácica mais comumente usada no mundo, com um longo histórico de sucesso. Essa lente pode ser usada para corrigir alta Miopia (de -5,0 D a -20,0 D) e Hipermetropia (de +5,0 D a +10,0 D). A Lente Artisan tórica pode ser utilizada em graus elevados de astigmatismo, que necessitam de correção.

Vantagens das Lentes Artisan:

– A cirurgia pode ser realizada em paciente com córnea fina e córnea irregular;

– São potencialmente reversíveis;

– Permitem recuperação visual rápida;

– Preservam a acomodação (capacidade de enxergar para longe e perto) em pacientes jovens;

– Boa qualidade de correção da visão;

– Boa precisão de correção da visão.

Os riscos potenciais da cirurgia de implante de Lentes Fácicas, como em qualquer cirurgia intraocular, incluem a possibilidade de infecção e por essa razão é tratado um olho de cada vez, com um intervalo de duas semanas entre os tratamentos. Há também raros casos descritos de possibilidade de dano à estrutura interna do olho, o que poderia levar ao glaucoma, inflamação da íris (uveíte), complicações da retina, descompensação da córnea ou catarata. Nesses casos, a Lente Artisan deverá ser removida.

Por essas razões, aconselhamos aos pacientes que cumpram o compromisso de revisões pós-operatórias em longo prazo.

4) Ceratotomias 


Ceratotomia é uma técnica de cirurgia refrativa para a correção do astigmatismo que consistia em se fazer incisões na córnea com o objetivo de corrigir a o astigmatismo. Com o advento do excimer laser, essa técnica foi praticamente abandonada, apesar dos resultados que proporcionava.

Saiba mais sobre Cirurgia de Catarata.

Saiba mais sobre Ceratocone.

Saiba mais sobre: Anel intra-corneano em Ceratocone.

Lembre-se: Este artigo visa informar o público e não substitui avaliação por médico oftalmologista, que é o único profissional capacitado para realizar o diagnóstico preciso e indicar o tratamento mais adequado para cada caso. Portanto, não pratique a auto-medicação e procure sempre o seu médico

O Instituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro – IORJ, conta com equipe médica especializada, e grande experiência nas mais modernas técnicas de Cirurgia Refrativa.

Agende sua consulta. 

Sobre o Autor:

Doutor em Ciências Visuais e Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), completou especialização de 3 anos em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Residência Médica em Oftalmologia pela Secretaria Municipal de Saúde – RJ. É especialista em Transplante de Córnea e Cirurgia de Catarata pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Fez Post-doctoral Research Fellowship em Catarata, Cirurgia Refrativa e Córnea pela Johns Hopkins University – EUA. Chefe do Setor de Córnea e Cirurgia Refrativa do Instituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro – IORJ, atua nas áreas clínica e cirúrgica da transplante de córnea, oftalmologia geral, síndrome do olho seco, distrofia de Fuchs, ceratocone, conjuntivite, cirurgia a laser, cristalino, lentes intra-oculares e catarata.